19 de abril de 2011

Para o Joey 1

Esse é um dos 2 textos que me enviaram para postar no Blog, pessoas que assim como eu são super fans do Joey Ramone, escreveram algo para ele e me pediram para postar, e porque não?

*O Primeiro Texto é do Agustinho Veiga de Goiania (dono do blog Gabba Gabba Radio)


Hahahaha aí está o Joey Ramone mais uma vez tomando conta do meu dia e me animando. Passar o dia ouvindo a banda que ele estava à frente e dar uma atenção especial às músicas que ele escreveu não é pra qualquer um... digo isso por que não é só baixar a discografia e colocá-la pra rolar no pc; é preciso ser fã de verdade, entender as letras, o por que dos tres acordes, o por que de certas frases suas entre uma e outra música em um show, etc. E não só de música é feito os ramones, é também de pessoas... de pessoas que de alguma forma vêem nos ramones uma válvula de escape ou uma forma de se sentirem bem... passarem por cima de algo ruim na vida se sentir estimulado pensar sobre algum futuro todas essas pessoas são os Ramones, e entre esses 4 esquizitões do Queens o que mais representou isso foi esse cara de 2,2 m de altura, coordenação bizarra e quase cego se não fosse pelos seus eternos óculos vermelhos. E como fã maníaco e viciado eu me incluo nesse nicho e não seria o que sou hoje se não fosse Joey Ramone, com certeza seria um chatão, de frente ao pc num dia quente escrevendo algum texto pra algum blog... maaas ao invés disso eu estou escrevendo pra um blog legal pacas, dançando na cadeira ao som de ramones e também não vivo só disso....
Como eu digo às vezes... o que seria daquele garoto magrelo de 13 anos zuado no colégio com o apelido de deficiente por que não podia fazer educação física, se um dia não tivesse ido na casa de um colega e lá visto um clip dos Ramones e pensado: “que cara massa esse que tá cantando, que cara feio, que voz estranha, que roupa louca, eu quero ser fã deles a vida toda” no outro dia estava eu andando pelos sebos do meu setor procurando pelos seus cds, e durante um mês continuei indo em um mesmo sebo pedindo pro vendedor colocar um cd que se chamava It's Alive no som da loja pra que eu ouvisse, quando o vendedor me proibiu de ouvir, la estava o magrelo deixando de lanchar na escola pra comprar o tal cd, assim como lá estavam os curtidores a curtirem de sua cara, mas dessa vez lá estava um cara alto e tão desengonçado e feio como ele cantando e mostrando que as pessoas gostavam dele mesmo assim, sem precisar mudar nada de ruim presente nele, apenas precisava pegá-las e dar-lhes graças, tornando-as interessantes. hahaha com um herói desses não há crítica que te afete.
Um ano depois esse cara morre, não conhecia quase nada, porém meu gosto aumentou ainda mais, e lá estava eu pelos sebos trocando meus livros didáticos por cds dos Ramones. Sem mais delongas encerrarei... por que não quero escrever um diário aqui.


Um dia acabei conhecendo C.J Ramone, peguei autógrafo com o cara, cheguei cedo pro show e ele muito gente boa deixa eu entrar e vê-lo passar o som. Um ano depois tem outro show do dele e a história se repete, no mesmo ano conheço Marky Ramone e Michael Graves, que é foda assim como tantas coisas fodas que os Ramones me ajudaram a conhecer, assim como esse blog que conheci vasculhando pela net e hoje de certa forma me sinto parte.
Até mais Joey Ramone! A dez anos atrás você não nos deu um adeus, mas sim um Gabba Gabba Abraço, e depois desse abraço um tapa nas costas seguido de: Hey Ho Let's Go It's Gonna Be Alright.

Um comentário:

Álvaro Neto disse...

Hey, como sempre estou frequentando o Blog, e pra mim foi uma surpresa encontrar aqui o texto de um brother meu, o Augustinho, com quem comecei a apenas alguns dias um projeto de blog rock'n'roll... Otimo texto cara, bem pessoal e escrito por um cara que gosta de RAMONES e de rock'n'roll pra caralho.
Parabéns mano!